Páginas

20 de fevereiro de 2009

O CAVALO MARINHO VIVE AQUI






O cavalo marinho é uma espécie de peixe muito curiosa e, no mínimo, exótica. Ele faz um grande sucesso, não só pela sua aparência, mas também pela maneira como nada. Seu corpo é coberto por placas dérmicas que servem de proteção contra os inimigos. Ele se mantém na posição vertical, utiliza a barbatana dorsal como único meio de propulsão. Sua capacidade natatória é bastante limitada por isso vive em águas calmas e abrigadas, como estuários, onde existem algas e plantas marinhas. Neste ambiente, o cavalo marinho pode se enrolar mantendo-se imóvel. Bons companheiros para o cavalo marinho são peixes pequenos, ele se alimenta de pequenos moluscos, vermes, crustáceos e plâncton que são sugados através do seu focinho tubular. Quanto à sua reprodução, há um aspecto interessante: os ovos são depositados numa bolsa ventral do macho. Após uma parada nupcial, a fêmea deposita os ovos nesta bolsa para então serem incubados, nascendo os juvenis completamente formados, já muito semelhantes aos adultos. E no nosso Litoral, ele encontrou um ambiente propício. O Jornalista FRANCISCO BRANDÃO (O RASTA JÚNIOR), que tem desempenhado um trabalho de competência e qualidade na região litorânea do Estado, foi conferir de perto na praia de Barra Grande, município de Cajueiro da Praia, a presença desse animal que tem se tornado cada vez mais uma forte atração da localidade, dando um grande impulso no turismo de aventura e ecológico no Litoral do Piauí. Em canoas à remo os guias da Associação de Condutores Turísticos da Barra Grande, levam visitantes do mundo inteiro para apreciar em habitat natural, os hippocampus (nome científico deste peixe), o passeio dura cerca de duas horas e meia percorrendo dentre três tipos de mangues formados pelos rios Cardoso e Camurupim. Antes de chegar ao local, é possível ver uma rica fauna e flora, formados por aves, peixes, moluscos e crustáceos. Todos podendo ser vistos de perto. Um dos grandes atrativos deste passeio ecológico é a visita ao ninho das tartarugas, local onde esse tipo de quelônio deposita seus quase 200 ovos. Na chegada ao Canal do Cavalo Marinho os guias colocam luvas para não machucar o animal já que se trata de uma especial bastante sensível, one são colocados em aquários e depois das sessões fotográficas dos curiosos são devolvidos ao habitat natural.

Um comentário:

  1. Marcelo, que maravilha este teu blog,li esta postagem sobre os cavalos marinhos,e que bom que no Piauí vcs protegem esta espécie de forma tão carinhosa,mesmo usando o turismo para mostrá-los aos visitantes,fazem isso de forma a não prejudicar o equilibrio ecológico do lugar,parabéns a todos vcs,e mais uma vez aplausos ao teu lindo blog,saiba que me tornei um acompanhante dele,ok?Abração.

    ResponderExcluir